O que é o Regime de Tributação?

COMPARTILHE

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
_REGIME DE TRIBUTAÇÃO
Saiba mais sobre Tributações!

O que é Regime de Tributação?

Se trata de um sistema que faz a cobrança de impostos de todos os CNPJ, de acordo com a arrecadação, o porte, o tipo de atividade exercida, o faturamento etc.  No Brasil, os tipos de regimes tributários mais populares são O simples Nacional, o Lucro Real e o Lucro Presumido.

Os principais impostos pagos pelas empresas são o IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica), se trata de um imposto sobre o rendimento da empresa, é recolhido pela Receita Federal e é cobrado para todas as pessoas jurídicas. O CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), que representa uma contribuição social e acompanha a o sistema tributário de recolhimento do IRPJ. Sua taxa é de 9% para as empresas, porém instituições financeiras, empresas de seguro privado e de capitalização, podem possuir uma alíquota de até 15%. As empresas que participam do Simples Nacional, e exerce atividade no comércio ou na indústria, a taxa pode chegar a 0,79% para prestadores de serviços e 2,53% para as que estão no Anexo IV.

O Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/PASEP),  é uma contribuição de caráter social, que arrecada a verba para o pagamento de seguro-desemprego, abono e participação na receita dos órgãos ou entidades. Os contribuintes são as pessoas jurídicas de direito privado e a alíquota pode variar de 0,65% e 1,65%. Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) tem o objetivo de financiar a seguridade social e incide sobre a fatura da organização. Estão isentas de pagar essa contribuição as pequenas e microempresas que escolhem o regime do Simples Nacional.

Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS), nele está incluído todo e qualquer tipo de mercadoria. Esse tributo é de competência estadual, ou seja, cada estado tem suas regras, alíquotas e isenções em relação a ele, por isso é importante verificar a legislação do estado onde a empresa está situada. Imposto Sobre Serviços (ISS) é um tributo municipal que incide sobre prestações de serviços. Todas as empresas de qualquer natureza pe obrigada a pagar esse tributo, e a alíquota varia de acordo com cada município, porém o valor mínimo é de 2% e o máximo é de 5%.

 

Os regimes de tributação mais populares no Brasil são o Lucro Presumido, nesse regime há uma forma de tributação simplificada que estabelece a base de calculo do IRPJ e do CSLL das empresas. Nos dois impostos, a alíquota varia de acordo com a atividade exercida, sendo 8% no caso de atividade que envolva indústrias e comércios e 32% no caso de prestação de serviços. Esse regime pode ser a escolha de empresas que faturam até R$78 milhões por ano, e pode ser indicado para empresas que não possuem obrigatoriedade de participar do Lucro Real e possuem lucro elevado. O PIS e o COFINS são mensurados de maneira cumulativa e a alíquota é de 3,65% sobre o faturamento. É um regime benéfico para empresas que possuem a margem de lucro alta, baixos custos operacionais e uma folha de pagamento baixa. A tributação é sobre a margem de lucro prefixada no CNPJ.

O Lucro Real também mensura o IRPJ e o CSLL das empresas, mas, diferente do Lucro Presumido, esse regime impõem as alíquotas de 15% e 9%, respectivamente, e o PIS e COFINS podem ter uma alíquota de 0,65% e 7,60%. Nesse regime, quem define o imposto de renda é o lucro contábil da empresa com ajustes requeridos pela lei fiscal. É um regime mais complexo e é indicado para empresas com margem de lucro menor que 32%, e é obrigatório para algumas empresas como instituições bancárias, sociedades de crédito, financiamento e investimento, caixas econômicos, cooperativas de crédito, empresas de seguro privado e capitalização, empresas de arrecadamento mercantil, entre outras.

Simples Nacional, é um regime tributário que simplifica o pagamento de tributos por ME e EPP, suas alíquotas variam de 4% a 22,90% e são divididos em seis anexos que incluem as mais variadas atividades econômicas. É uma ótima opção para empresas que faturam até R$4,8 milhões. Mas o contador deve avaliar o faturamento, os colaboradores e outros fatores que alteram a alíquota.

 

As diferenças entre esses regimes tributários é que em relação aos tributos sobre o lucro, a base do cálculo do Lucro Real é o lucro que está mensurado na contabilidade, com certos acréscimos e subtrações. No Lucro Presumido, a base do cálculo é a aplicações de percentuais sobre a receita da pessoa jurídica. Já nos tributos de faturamento, no Lucro Presumido, o PIS e o COFINS incidem sobre o faturamento e na maioria das vezes, o Lucro Real também incide sobre o faturamento. Porém, a taxa da alíquota é mais alta e permite que a empresa deduza a quantia a pagar sobre suas aquisições, com isso a alíquota é maior e a base menor. No Simples Nacional o tributo é pago por meio da aplicação da alíquota no faturamento do mês, por ser um regime de tributação simplificado.  Sua maior vantagem é a diminuição de obrigações acessórias, os diversos impostos são recolhidos em uma única guia.

 

Para escolher o melhor regime tributário para sua empresa, é necessário ficar atento no pagamento de tributos incorretos ou desnecessários. Nem sempre uma empresa pode escolher seu regime tributário, pois como vimos o único regime que aceita qualquer CNPJ é o Lucro Real. Existem limitações para se enquadrar no Lucro Presumido, e ainda mais limitações para se enquadrar no Simples Nacional. É muito importante levar em consideração todos os fatores da empresa antes de escolher um regime tributário.

 

É importante contar com a ajuda de um contador, pois ele pode tomar decisões que irão diminuir a quantidade de impostos a serem pagos. Com um bom serviço de contabilidade é possível simplificar o cumprimento das obrigações exigidas e desburocratizar a legislação tributária. Além de maior segurança na hora da entrega de documentos e outros aspectos para a abertura ou manutenção do CNPJ. Por lei, toda empresa é obrigada a ter um contador. É importante contar com um contador responsável, pois ele irá ajudar na hora da escolha do regime tributário, que deve ser feito com muita pesquisa e planejamento. Afinal, isso atinge a forma do pagamento de impostos, e uma escolha mal feita pode resultar em prejuízos no lucro da empresa.

Compartilhar post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Preciso de ajuda?
Entre em Contato